segunda-feira, 22 de março de 2010

UMA ENTRE MILHARES


Quem no Brasil não lamentou a morte de Isabela Nardoni? E quem não deu o veredicto final dos seus supostos algozes? Este é um caso que a mídia tornou especial e delicadíssimo, ao ponto de a repórter da emissora Rede Globo afirmar ser este “o crime que chocou a nossa época”. Interessante: Desde antes, desta morte, até hoje inumeras crianças tão ou mais novas que Isabela, morreram tragicamente: violentadas pelos próprios pais, vitimas de bala perdida, do tráfico e da criminalidade que assola as cidades deste país... Mas por que apenas um entre tantos, chocou os brasileiros? A razão está no fato de frequentimente ouvirmos falar de crianças, de baixa renda, assassinadas de forma brutal. Essa realidade ficou tão corriqueira que tornou-se “comum”, do ponto de vista social; tratando-se de periferia, uma criança a mais outra a menos, é só estatística. Mas quando essa realidade alcança um setor privilegiado da sociedade brasileira, e o medo se instala entre aqueles que vivem confortavelmente por trás dos muros vigiados, das cercas elétricas e julgam-se superiores, devido uma condição financeiramente favorável, ai a “coisa” toma rumos diferentes... A mídia logo ínsita a sensibilidade do povo e a opinião pública prontamente se mobiliza: “Cadê a justiça deste país?”. Obviamente que este é um caso digno de justiça, mas não é o único. A mesma força aplicada para resolver o caso Isabela Nardoni, deve ser aplicada para investigar e punir criminosos que recrutam crianças ao tráfico, roubando-lhes a infância e inocência, para punir mais severamente jovens que matam crianças e ficam praticamente impunes devido a pouca idade, para dar mais vida digna as crianças que pedem esmolas na sinaleira, para prender homens sem escrúpulos nem pudor, que violentam crianças e não raras vezes ficam impunes, valendo ressaltar que em muitos casos, esses tais só são presos depois de destruírem varias outras famílias. Em fim, são muitos os casos tão dignos de justiça e mobilização pública quanto o de Isabela. Mas infelizmente esses permanecerão no anonimato, sem direito a pressão “midiática”, nem a mobilização imediata do poder publico, isso em quanto o povo não redescobrir seus valores, impor seus direitos e aprender a se manifestar de maneira consciente e justa.

Que Deus nos faça conhecer sua Justiça em todos estes casos, desde Isabela até os anônimos e nos dê sabedoria.

2 comentários:

  1. Deus abençoe ricamente sua vida e vc seja sempre este canal de bençãos para nossas vidas fica na Paz....

    ResponderExcluir
  2. Amém. Que assim seja em nossas vidas e de todos os que buscam O Senhor com sinceridade.

    ResponderExcluir