segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

OS PERSEGUIDOS

Há um grito silencioso que ecoa pelos quatro cantos do mundo, há milhares de homens, mulheres e crianças submetidos a torturas brutais por professarem o proibido, há uma humanidade que chora pelos ursos polares, mas ignora o extermínio de inocentes. Desde o fim da segunda guerra mundial, teoricamente a ONU encarregou-se de impedir que fatos como o holocausto novamente viesse a interferir no direito natural do homem, ou seja: o direito a vida. Aliás, a Declaração Universal dos Direitos Humanos assegura os valores inalienáveis da humanidade. Porém, tudo não passa de mera filosofia, pois os valores que na realidade importam aos paises ricos, membros permanentes do conselho de segurança, são puramente econômicos; Quando há alguma atitude que não vai ao encontro dos seus interesses para ser tomada: Permanecem estáticos, fecham os olhos e tapam os ouvidos.


A China tortura aqueles que ousam confessar sua fé, os paises islâmicos da África queimam crianças que não negam Jesus, a Índia quebra igrejas e espanca pastores... Em fim, segue-se uma lista interminável de mártires cristãos que não são noticiário urgente na TV, nem temas centrais das discussões da ONU, são peregrinas sem fronteiras nem bens materiais, pessoas que deixam sua terra natal, o aconchego da parentela, abrem mão de suas próprias vidas para levarem o amor de Deus aos quatro cantos do mundo. Enquanto todos querem distância das regiões pobres e propensa a catástrofes naturais é para lá que eles seguem, pois são “a voz que clama no deserto”. Seu pior inimigo revela-se na forma da vilã mais conhecida da humanidade: A intolerância religiosa, depois das catástrofes naturais ela é a maior causadora de desgraças nos cinco continentes.

Devido às inúmeras atrocidades que “ocorreram enganosamente em nome de Jesus”, (na verdade em nome do monopólio bíblico, político e ideológico), muitos preferem descrer no evangelho, mas não sabem que durante o Tribunal do “santo” Inquérito, inúmeros evangélicos foram condenados e queimados com filósofos e pensadores da época, inúmeros evangélicos em Roma foram lançados na cova de leões sendo devorados vivos por não confessarem uma fé contrária ao texto sagrado, ou por simplesmente possuírem uma Bíblia, algo terminantemente proibido.

Este vídeo trata da razão que levou e têm levado pessoas a não negarem sua fé, que seguem a fé dos antigos, são frutos do Sacrifício feito na cruz do calvário, são sementes do sangue. E mesmo queimados ou torturados, morrem, mas chegam ao céu com a vitória nas mãos: O que para muitos é incompreensível, para outros é poder de Deus. De acordo com O Texto Sagrado, no final dos tempos “Muitos serão purificados e embranquecidos e provados; mas os ímpios procederão impiamente, e nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão”, então que assim seja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário